Esse é pra deixar todos os netbooks pra trás.

PS4 Concept..

22/02/2010

“A popularidade dos consoles da Sony inspiraram o designer australiano Tai Chiem a desenvolver um conceito para o Playstation 4, batizado somente como Concept. O designer prezou pelo privilégio de novas tecnologias de interação e criou uma estrutura transparente, tanto para o console quanto para os controles. A área transparente é uma tela de toques e possui botões para as operações convencionais do jogador, como controle de memória e configurações. Além disso, o vidro é um display para thumbnails dos jogos, vídeos, fotos e músicas.

O designer Tai Chiem é formado pela Univerdade Monash, presente em várias cidades da Austrália e também na Malásia e África do Sul. Chiem possui bacharelado em Desenho Industrial e também em Marketing.”      globo.

via TomEric.

É bonitinho… mas sinceramente não é atraente…

512mb de memória interna (WTF?!) e essa tela não colorida… quem vai querer isso podendo ter um kindle dx (http://www.amazon.com/).

sony1sony2

sony3

Essa é uma dessas bandas novas que estão aparecendo com um som bem experimental que tenho ouvido ultimamente, o clip é muito bom…..

Experimentem !

É conhecido o gosto das estrelas do mundo do espectáculo pelos carros potentes e luxuosos. Como não podia deixar de ser, a marca Rolls Royce é uma das mais procuradas, não só por possuir aquelas características mas também pelo facto de poder personalizar os seus modelos de acordo com os caprichos dos clientes. Entre os músicos da pop/rock, por exemplo, não têm faltado felizes possuidores destes carros, como Elvis Presley, Stevie Wonder, Freddy Mercury ou rapper 50 cent. Todos estes veículos têm em comum a sobriedade, a distinção e o estatuto que a marca lhes confere. No entanto houve um que foi tudo menos sóbrio: o fabuloso Rolls Royce de John Lennon.

O veículo em questão era um magnífico Phantom V placas FJB111C que lhe foi entregue em 1965. Por esta altura o carro era ainda sóbrio (apesar de ser visto em fotografias com os Beatles todo branco há quem diga que a sua cor original era o preto) mas Lennon não se deu por satisfeito enquanto não o “personalizou”. Começou por lhe instalar um rádio-telefone, a que se seguiu um sistema de som muito especial, uma televisão Sony, um frigorífico e uma cama de casal no lugar do assento traseiro. Só mesmo Lennon para se lembrar de uma coisa destas…
Mas o músico estava descontente quanto à pintura tão sóbria do seu automóvel, contrastante com a sua personalidade extrovertida e megalómana. Encomendou então uma pintura psicadélica a um grupo de artistas holandeses, que encheu a carroçaria do Rolls de todo o tipo de cornucópias, floreados e arrebiques multicolores sobre um fundo amarelo. Lennon ficou embevecido e pagou cerca de 2000 libras pela brincadeira.

Escusado será dizer que o veículo chocou imenso a mentalidade britânica da época, para quem a Rolls Royce era motivo de orgulho nacional. Diz-se que houve uma senhora de idade que, indignada, chegou a desferir golpes de chapéu de chuva sobre o automóvel… Pese embora estes percalços, que obviamente divertiam imenso Lennon, tornou-se o meio de transporte quase exclusivo dos Beatles até à sua separação, ocorrida em 1970.

Quando Lennon e Yoko se mudaram para os EUA o carro seguiu com eles. Já em território americano foi “emprestado” a outros músicos, como os Rolling Stones e Bob Dylan, até que foi posto na garagem e, posteriormente, “doado” ao Cooper-Hewitt Museum de Nova Iorque, onde permaneceu de 1978 até 1985, data em que foi leiloado. A licitação mais alta atingiu $2 299 000 USD e permitiu a Jim Pattison, um milionário canadense, tornar-se o novo proprietário do famoso automóvel. Mais tarde, num acto de generosidade, Pattison ofereceu o Rolls à rainha de Inglaterra. Actualmente encontra-se exposto ao público no Royal British Columbia Museum, em Victoria

Lennon´s RoyceJohn´s RoyceRolls Royce do John Lennon